jump to navigation

“What is the brother” 1/04/08

Posted by Calsavara in Blog, Bobagens diversas, Entretenimento, Música, Poesia.
add a comment

Copiado mesmo do Trabalho Sujo, sem pudor… Inclusive os comentários sobre o vídeo, hehehe…

00:20 – Primeiro sustinho

00:30 – “Cidade assim dita”, wahahahaha

00:40 – “Tenho clips, gravado…” corte seco antes que ele fale alguma coisa, entra música

00:50 – Sente a camiseta amarela de manga pseudo-comprida, a ginga na andadinha e as caretinhas fofolete dando ênfase na letra

01:00 – Segundo sustinho. Participação que não pode ter sido espontânea, não dá pra acreditar na sincronia… Perceba que ele dá uma cumprimentadinha no final

01:12 – Num asilo, gingando, de óculos escuros e apontando pra velhinhas. “Már-cân-tí”

01:27 – Essa corridinha foi a melhor

01:40 – Rima forçada número oito

01:47 – Presença estaile no lixão

01:49 – Olhar fatal número dezessete

01:51 – Cachorro carniça rolando na sarna

02:02 – Rima forçada número dez

02:13 – O cartazinho no espelho da barbearia xingando de ladrão quem pede fiado

02:18 – Olha que comédia ele cantando quietinho pro cara não cortar o cabelo dele errado

02:25 – Rima forçada número treze

02:35 – Momento pedófilo

02:37 – Ele tá dançando?

02:55 – Edição superstaile de cortes, Ednaldo interage na Paixão de Cristo

03:10 – Efeito especial que provavelmente arrombou o orçamento do clip

03:20 – Retorno ao lixão, melhores momentos

03:40 – Cachorro carniça rolando na sarna

03:41 – Urubús

03:44 – Imagem dramática em segundo plano. Início do solo nêlvoso de teclado

03:48 – O retorno do mano-encosto da feira

03:50 – Reprise dos melhores momentos

04:00 – Olhar fatal número vinteseis. “Vamos refletir brother”

04:08 – Momento zen, com Enaldo pensando se liga a TV pra aparecer de novo ou não

Anúncios

Voyage voyage… 10/04/07

Posted by Calsavara in Bobagens diversas, Comportamento, Cotidiano, Entretenimento, Infância, Música, Poesia.
2 comments

Nesse fim de semana passado fomos eu e a minha lindinha passear pelos pagos de Ivaiporã, minha terra natal. Como ela não conhecia a cidade, fui fazer a tour com ela para apresentar os melhores points. Cinco minutos já estávamos de volta para casa.

Foi legal passar de novo em frente a Lanchonete Holandesa. Ali era onde o fervo acontecia. Nas “Paqueras na Avenida”, o som que mandava era do Black Star. Aqueles conjuntos de som eletrônico, com muitas caixas repletas de luzes coloridas, batidas bizarras, boom-boxes no talo e dança de passinho. Depois surgiu a White Star, pra poder rivalizar.

Era a época da Gangue dos Quebra Ossos, da rivalidade ferrenha entre o Manéco e a Monte Castelo. Hoje peleja continua, mas naquela época as brigas se resumiam a uma surra nervosa. Armas de fogo quase sempre ficavam de fora.

Só de passar por lá me deu uma certa nostalgia desse tempo. Uma pequena viagem mental. E me lembrei de um ícone musical que, para mim, é a marca desse tempo. Vou deixar que o grupo Desireless te leve nessa viagem também…

(mais…)

“O Pelé calado é um poeta” 3/04/07

Posted by Calsavara in Bobagens diversas, Entretenimento, Esportes, Futebol, Poesia, TV.
1 comment so far

Eu não gosto do Romário. Não gosto mesmo. Torço muito para que ele não faça o tal do gol 1.000.

romario16.jpg 

E tenho motivos pra isso.

Mas não posso negar que eu alguns momentos ele tem razão: o Pelé calado é um poeta. Ponham um sapato na boca do Pelé, por favor!!!

Atendendo a pedidos… 19/03/07

Posted by Calsavara in Música, Mulheres, Poesia.
2 comments

… segue agora em nossa programação “It’s Not Unusual”, de Tom Jones.

[odeo=http://odeo.com/audio/5419803/view]

It’s not unusual to be loved by anyone.
It’s not unusual to have fun with anyone.
But when I see you hanging about with anyone,
It’s not unusual to see me cry,
Oh I wanna’ die.

It’s not unusual to go out at any time.
But when I see you out and about it’s such a crime.
If you should ever want to be loved by anyone
It’s not unusual it happens every day,
No matter what you say.

You find it happens all the time.
Love will never do
What you want it to.
Why can’t this crazy love be mine?

It’s not unusual to be mad with anyone.
It’s not unusual to be sad with anyone.
But if I ever find that you’ve changed at anytime
It’s not unusual to find out that I’m in love with you.
Whoa-oh-oh-oh-oh…

Te amo, linda!

Eu sei como você está se sentindo… 13/12/06

Posted by Calsavara in Comportamento, Música, Mulheres, Poesia.
3 comments

Mas me dê uma chance de provar o contrário…

“If I Fell – The Beatles”

If I fell in love with you
Would you promise to be true
And help me understand
‘cause I’ve been in love before
And I found that love was more
Than just holding hands

If I give my heart to you
I must be sure
From the very start
That you would love me more than her

If I trust in you, oh please
Don’t run and hide
If I love you too, oh please
Don’t hurt my pride like her
‘cause I couldn’t stand the pain
And I would be sad if our new love was in vain

So I hope you see that I
Would love to love you
And that she will cry
When she learns we are two
cause I couldn’t stand the pain
and I would be sad if our new love was in vain

so I hope you see that I
would love to love you
and that she will cry when she learns we are two
If I fell in love with you…

Canção pra aplacar a distância 11/12/06

Posted by Calsavara in Comportamento, Música, Mulheres, Poesia.
1 comment so far

Na onda dos posts musicais, um clássico de Marvin Gaye, com a participação mais do que especial de Tammi Terrell. A gravação é de 1967, mas é mais atual do que nunca…

“Ain’t no mountain high” – Marvin Gaye & Tammi Terrell

Listen Baby…

Ain’t no mountain high
Ain’t no valley low
Ain’t no river wide enough, baby

If you need me call me
no matter where you are
no matter how far
[don’t worry baby
just call my name
I’ll be there in a hurry
you don’t have to worry

‘Cause baby there
Ain’t no mountain high enough,
Ain’t no valley low enough,
Ain’t no river wide enough
To keep me from getting to you babe

Remember the day
I set you free
I told you could always count on me darling
From that day on
I made a vow
I’ll be there when you want me
some way somehow

‘Cause baby there
Ain’t no mountain high enough,
Ain’t no valley low enough,
Ain’t no river wide enough
To keep me from getting to you babe

No wind,
No rain
Or winter’s cold
Can’t stop me baby,
[no, no babe
‘cause you are my beau
[if you’re ever in trouble
I’ll be there on the double
just send for me
ooo baby

My love is alive
Way down in my heart
Although we are miles apart

If you ever need a helping hand
I’ll be there on the double
just as fast as I can

Don’t you know that there aint no
mountain high enough,
Ain’t no valley low enough,
Ain’t no river wide enough to keep
me from getting to you babe

Don’t you know that there ain’t no
mountain high enough,
Ain’t no valley low enough,
Ain’t no river wide enough,
Aint no mountain high enough,
Ain’t no valley low enough…

Grandes vídeos da Humanidade 7/12/06

Posted by Calsavara in Amigos, Bobagens diversas, Cinema, Entretenimento, Poesia.
1 comment so far

Eis que o grande cineasta Carlos Sarraff, da pujante cidade de Guarapuava, resolve lançar sua obra-prima… Um verdadeiro masterpiece, ou capolavoro, como eles dizem lá…

40 Dias após a Terceira Guerra Mundial segundo Nostradamus!

Atenção para as fantásticas atuações de Flávia Mitterer, Sol  (1’20”, uma expressividade digna de um Oscar), do próprio Carlos Sarraf , Profeta (1’48”, com direito a uma olhadinha para a câmera) e de Sandra Sarraff, Ênia (1’55”, o momento mais emocionante do trailler)!!!

Dica do Lucas… E tem gente que fica preocupada com o tipo de imagem que o filme Turistas vai passar do Brasil…

Está tudo melhorando… 1/12/06

Posted by Calsavara in Amigos, Carros, Cotidiano, Família, Jornalismo, Música, Mulheres, Poesia.
2 comments

“Getting Better” – The Beatles

It’s getting better all the time

I used to get mad at my school
The teachers who taught me weren’t cool
Holding me down, turning me round
Filling me up with your rules.

I’ve got to admit it’s getting better
It’s a little better all the time
I have to admit it’s getting better
It’s getting better since you’ve been mine.

Me used to be angry young man
Me hiding me head in the sand
You gave me the word
I finally heard
I’m doing the best that I can.

I admit it’s getting better
It’s a little better all the time yes
I admit it’s getting better
It’s getting better since you’ve been mine.

Getting so much better all the time.
It’s getting better all the time
Better, better, better.
It’s getting better all the time
Better, better, better.

I used to be cruel to my woman
I beat her and kept her apart from the
Things that she loved
Man I was mean but I’m changing my scene
And I’m doing the best that I can.

I admit it’s getting better
A little better all the time
Yes I admit it’s getting better
It’s getting better since you’ve been mine.

Getting so much better all the time.
It’s getting better all the time
Better, better, better.
It’s getting better all the time
Better, better, better.

Getting so much better all the time.

Trilha sonora para uma semana de retornos… 21/08/06

Posted by Calsavara in Crônicas, Mulheres, Poesia.
1 comment so far

Qui nem jiló

(Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira)

Int.: (Bb7+ C7 Am7 D7/9 Gm7 C7 Bb F)

         F               G/F           F    G/F
Se a gente lembra só por lembrar

       F                         F/G     E7    Cm    F7
O amor que a gente um dia perdeu

      Bb7+              C7      Am7    D7/9
Saudade inté que assim é bom

                        Gm7              C7          Am7    D7/9
Pro cabra se convencer que é feliz sem saber

                 Gm7     C7
Pois não sofreu

     F                   G/F          F    G/F
Porém se a gente vive a sonhar

             F                  G/F    E7   Cm7   F7
Com alguém que se deseja rever

      Bb7+           C7     Am7    D7/9
Saudade, entonce aí é ruim

                       Gm7               D7         Bb/F   F
Eu tiro isso por mim, que vivo doido a sofrer

                   C7                            F/C
Ai quem me dera voltar pros braços do meu xodó

                 C7                           F/C
Saudade assim faz roer e amarga qui nem jiló

                    C7                             F/C        F7
Mas ninguém pode dizer que me viu triste a chorar

      Bb7+              C7            F
Saudade, o meu remédio é cantar (2x)

Hoje ouvi sua voz… 7/08/06

Posted by Calsavara in Crônicas, Mulheres, Poesia.
5 comments

… e me soou doce e terna como nunca. Me fez lembrar de uns versos do bom Bilac…

Ora (direis) ouvir estrelas

“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto…

E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: “Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?”

E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas.”