jump to navigation

This girl is pretty kinky… 11/03/08

Posted by Calsavara in Bobagens diversas, Cinema, Comportamento, Entretenimento, Família, Música, Piada interna.
add a comment

… this girl is Super Freak!!!

Rick James, com toda sua beleza, manda muito bem!!!

Isso te lembra alguma coisa?

Maravilhoso!!!

O Corinthians não tá não. Saiu e só volta na segunda!!! 3/12/07

Posted by Calsavara in Bobagens diversas, Esportes, Família, Futebol.
10 comments

corinthians.jpg 

Sinto muito pelo meu pai, que é corinthiano. Sinto pela minha irmã também, que é corinthiana…

Agora, pelo resto, quero mais é que chorem muito, mas muito mesmo!!!

 torcedor.jpg

Chorem, chorem sua vergonha, chorem sua culpa, chorem suas mágoas…

dor.jpg

E de hoje em diante, nunca mais cantem
“Chega de besteira / Segunda Divisão / É coisa do Palmeiras”.

Porque Série B, a partir de hoje, é coisa do Corinthians também!

Torço muito para que subam de volta. Não precisa ser logo não. pode demorar umas duas ou três temporadas. Até porque é ruim ficar sem o maior rival no Campeonato Brasileiro da Série A.

Mas por enquanto, que a queda seja longa e dolorosa…

brasao.jpg

Da dor de se perder um amigo… 15/02/07

Posted by Calsavara in Amigos, Comportamento, Cotidiano, Família, Infância.
6 comments

Os amigos são sua segunda família. É verdade. Pai e mãe, cabe à natureza providenciar. Ou ao destino, sei lá… E com certeza, cabe aos avós!

Avós, cabem à natureza, ao destino e aos bisavós providenciar. E assim, verticalmente, vai. Horizontalmente também, já que os seus avós, provavelmente, não tiveram só seus pais. Cada um dos irmãos dos seus pais, também conhecidos como tios (ou tias, se forem irmãs), também terão seus respectivos filhos (ou filhas), também conhecidos como primos (ou primas).

Os amigos, ah, esses não dependem da natureza ou do destino. Esses somos nós mesmos quem escolhemos. Tá bom, tá bom. A natureza e o destino se encarregam de colocar você em diferentes lugares e diferentes situações, para conhecer pessoas diferentes. Mas a escolha de um amigo, essa nos é pessoal e intransferível.

Eu, por exemplo, tenho amigos no Japão, na Espanha, no Equador, no Acre, em Guarapuava, em  Londrina, em Goiânia, em Ivaiporã e em mais um monte de lugares. Mas todos eles têm alguma coisa em comum: eu os escolhi como amigos.

A natureza e o destino podem nos “presentear” com os espécimes familiares mais diversos dentre a fauna de Homo Sapiens disponíveis. Um primo maconheiro, uma prima duas caras, uma tia louca e um tio pastor que dança funk; por exemplo. Um tio que morreu de bêbado, uma tia hipocondríaca, um primo afeminado e uma prima infantilóide; outro exemplo. Pai amoroso, mãe maravilhosa, irmã exemplar; mais um exemplo.

Mas todos eles já estavam aqui antes de você chegar. Ou pelo menos boa parte deles. Então, você não teve nenhum poder de escolha sobre eles. Senão, você trocaria uma tia louca por outra sã. Ou a prima infantilóide por uma outra mais, digamos, “interessante”…

Os amigos não. Salvo alguma fenda no espaço-tempo, os seus amigos são todos contemporâneos a você. Você é junto com eles, você está junto com eles. Você vive na mesma época que eles.

Quando um primo ou uma tia resolve virar do avesso e não lhe dar mais as fuças, é uma situação chata. Mas que você consegue contornar, afinal, há laços de sangue. Por mais que um irmão odeie sua irmã, é provável que, em algum momento, eles voltem a se falar.  Por isso eu não acredito que alguém possa “perder” um parente.

Agora, quando um amigo seu decide ir embora e não falar mais com você, isso é muito doloroso. Quando isso acontece porque você o fez antes, e foi embora e não falou mais com ele, isso é pior ainda…

Parente é como bumerangue, por mais que você o jogue longe, ele sempre volta. Pode demorar, mas volta.

Amigos, nem sempre…

A todos os meus amigos: eu os amo!!! A todos, indistintamente!!! Vocês, a quem eu escolhi como minha segunda família, são uma parte muito importante da minha vida!!! Amigos com quem tenho um relacionamento próximo, outros com quem perdi um pouco do contato, alguns com quem perdi quase todo o contato, um ou outro com quem não troco mais palavra: eu os amo!!!

Deus os abenções a todos vocês, parte imprescindível da minha existência!!!

A notícia é velha… Mas é notícia! 2/02/07

Posted by Calsavara in Bobagens diversas, Comportamento, Crônicas, Família, Jornalismo.
1 comment so far

“EMERGÊNCIA HOSPITALAR
Chefe no Brasfels é socorrido
com pepino enfiado naquele lugar”

01-capajornal.jpg

O melhor de tudo é a mulher do cara explicar que ele “não era veado”, e o próprio dizer que “tudo aconteceu num monento de fraqueza”… Agora, ô fraqueza bem dada, hein? Pro cara escolher um pepinão de 25×8, devia estar numa fraqueeeeeeza…

Copiado do O Torto.

Está tudo melhorando… 1/12/06

Posted by Calsavara in Amigos, Carros, Cotidiano, Família, Jornalismo, Música, Mulheres, Poesia.
2 comments

“Getting Better” – The Beatles

It’s getting better all the time

I used to get mad at my school
The teachers who taught me weren’t cool
Holding me down, turning me round
Filling me up with your rules.

I’ve got to admit it’s getting better
It’s a little better all the time
I have to admit it’s getting better
It’s getting better since you’ve been mine.

Me used to be angry young man
Me hiding me head in the sand
You gave me the word
I finally heard
I’m doing the best that I can.

I admit it’s getting better
It’s a little better all the time yes
I admit it’s getting better
It’s getting better since you’ve been mine.

Getting so much better all the time.
It’s getting better all the time
Better, better, better.
It’s getting better all the time
Better, better, better.

I used to be cruel to my woman
I beat her and kept her apart from the
Things that she loved
Man I was mean but I’m changing my scene
And I’m doing the best that I can.

I admit it’s getting better
A little better all the time
Yes I admit it’s getting better
It’s getting better since you’ve been mine.

Getting so much better all the time.
It’s getting better all the time
Better, better, better.
It’s getting better all the time
Better, better, better.

Getting so much better all the time.

Fragmentos de uma terça-feira… 18/07/06

Posted by Calsavara in Comportamento, Cotidiano, Crônicas, Família.
3 comments

Leão
Não é o momento para lidar com dificuldades ou doenças. Pode não estar percebendo o conjunto da situação. Um dia que deveria ser dedicado mais a refazer suas forças.

Mas eu não te ouvi, ó horóscopo. Não me dediquei a refazer minhas forças. Mesmo debilitado por um violento resfriado, que me fez ficar em claro por toda a noite de hoje, estou aqui, firme e forte (nem tão firme, nem tão forte) defendendo meu posto.

Não me lembro bem como cheguei em casa ontem. Tenho a impressão de que o Gonzo falou algo comigo, mas eu não estava em condições de compreender, nem mesmo de argumentar. Caí na cama e desmaiei. Só lembro que passava das 2 e pouco da manhã e a fronha do meu travesseiro poderia ser torcida de tanto suor.

(mais…)

Parabéns pelo seu dia, Calsavaras!!! 4/04/06

Posted by Calsavara in Crônicas, Família, Feriados, Vale a pena ler de novo!!!.
199 comments

Clique Aqui! "Gente" – Renato Russo

Em 04 de abril de 1888, chegava ao Brasil o navio a vapor Fanfula. Oriundo de águas européias, atracou no porto de Santos, carregado de imigrantes e, mais do que isso, de sonhos e esperanças.

Entre todos aqueles que vieram "fazer a América", estava um senhor de 76 anos. Seu nome? Geovanne. Nascido em meados de 1812, o Sr. Geovanne desceu em terras brasileiras naquela quarta-feira com o coração repleto de dúvidas, provavelmente de medos também. Mas, acima de tudo, com o peito cheio de muita coragem para enfrentar o desafio que estava por vir.

(mais…)

O nome dela? É Daniela!!! 31/03/06

Posted by Calsavara in Crônicas, Família, Infância.
8 comments

Clique Aqui! "Daniela" – Biquini Cavadão

Quis o destino que quando eu viesse ao mundo, por volta das 8 e meia da manhã do dia 24 de julho (há alguns tantos anos), já houvesse alguém antes de mim como descendente de Tereza e José Calsavara, lá em Ivaiporã. Alguém pra guiar-me o caminho, alguém para apontar-me as saídas (e as entradas também). Alguém em quem eu pudesse confiar, alguém pra me acompanhar, por toda a minha vida.

Alguém que pudesse brincar comigo de cabana, colocando um colchãozinho fino dobrado em "U" e coberto com uma mantinha marrom. Alguém pra me entreter com seu teatrinho com os pés ("Pezito e Pezoto", era isso?). Alguém pra jogar uma partida de Freeway comigo no Atari recém comprado (mesmo que ela tenha perdido o gosto pelos videogames tão cedo). Alguém pra ajudar nas tarefas do Santa Olga, sempre que possível. Alguém pra juntos assistirmos o programa da Xuxa, e também para elaborar uma carta para o programa.

Tata
Para os filhos únicos, uma triste constatação: vocês não conhecem a beleza de se ter uma irmã (ou irmão, que seja)!!!

(mais…)