jump to navigation

Ééééééééééééééééééé… ééééé do Brasiiiiiiiil!!! 2/02/07

Posted by Calsavara in Bobagens diversas, Copa, Entretenimento, Esportes, Futebol, Jornalismo, TV.
1 comment so far

Aumente beeeeeeeeeeeeem o seu volume e pode rir à vontade… 

Ê, larí lará… Galvão Bueno mostrando toda sua delicadeza… “Só se eu der uma marretada na cabeça dele”…

Anúncios

Forza, Azzurra!!! 9/07/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
1 comment so far

Fratelli d’Italia,
l’Italia s’è desta,
dell’elmo di Scipio
s’è cinta la testa.
Dov’è la vittoria?
Le porga la chioma,
che schiava di Roma
Iddio la creò.

Stringiamoci a coorte,
siam pronti alla morte.
Siam pronti alla morte,
l’Italia chiamò.
Stringiamoci a coorte,
siam pronti alla morte.
Siam pronti alla morte,
l’Italia chiamò!
Stringiamoci a coorte,
siam pronti alla morte.
Siam pronti alla morte,
l’Italia chiamò.
Stringiamoci a coorte,
siam pronti alla morte.
Siam pronti alla morte,
l’Italia chiamò!

Diferentes formas de incentivo à seleção… 8/07/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Futebol, Publicidade.
add a comment

Enquanto no Brasil o patrocinador oficial da Seleção faz com que seus jogadores chutem a bola por cima do gol pra conseguir a tal 6ª estrela (?!?!)…

… na Argentina, eles produzem uma verdadeira poesia…

Aqui está a transcrição do narrador:

“Bendito sea el mundial con que soñamos
Bendito cada nombre que ha sido designado
Bendito los pibes que siempre sacamos
El peso de la historia, el respeto ganado
Maldito sean los recuerdos dolorosos
Maldita la impotencia, la injusticia que vivimos
El volvernos a casa cada uno por su lado
Las finales sin jugar y quedarme en el camino
Bendita la anestesia general a los dolores
La tristeza que curamos con abrazos
Las gargantas que se rompen por los goles
El sentirnos los mejores por un rato
Malditos los sorteos y los grupos de la muerte
Los controles sin azar que asignaron nuestra suerte
Malditos los mezquinos que juegan sin poesía
Los que pegan, los que envidian, los que rompen y lastiman
Bendito sea el orgullo con el que entramos a la cancha
El potrero y la pelota no se machan
La tv que repite la gambeta
Inflar las redes de los otros, inflar el pecho de los nuestros
Merecer la camiseta
Los turistas, los cronistas, los sponsors, los amigos, el himno
y las mujeres siguiendo los partidos
Bendita las cabalas que dan resultado
Las risas y el llanto que guardaremos tanto
Y bendito ese momento que nos regala el fútbol
De poder cambiar nuestro destino
Y sentir otra vez y frente al mundo
Lo glorioso y lo groso de ser argentino!”

Não se culpe se sentir um frio na espinha e ficar arrepiado quando ouvir. Porque eu fiquei…

Copiado de Brainstorm#9.

Copa do Mundo – 4ª de final – Alemanha 1 (4) x (2) 1 Argentina 2/07/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
1 comment so far

1a1-4a2.jpg

O jogo

Quiçá uma das melhores partidas de todas as Copas, Alemanha e Argentina protagonizaram um encontro que deveria figurar apenas no próximo dia 9, em Berlim. O que poderia ser a terceira final entre os dois países (e serviria para desempatar o um a um em vitórias decisivas), quis o destino que acontecesse numa quarta-de-final.

Os dois times começaram tensos, brigando pro cada bola. Passados apenas 3′ de jogo e  Podolski (ALE) já tinha um cartão amarelo. Nada mais natural em uma peleja entre duas das maiores seleções do mundo. O primeiro tempo foi de extrema marcação. A Argentina praticamente não chegou ao gol germânico, e os alemães tiveram, se bem contadas, duas chances de gol não convertidas.

O segundo tempo reservava fortes emoções. Aos 4′, Riquelme (ARG) cobrou um escanteio e Ayala (ARG) escora de cabeça. Mesmo com a entrada faltosa de Klose (ALE), a bola foi balançar o fundo da rede de Lehmann (ARG). Argentina 1, Alemanha 0.












A Alemanha não se deu por vencida e partiu pra cima dos platinos. Depois de muitas tentativas, Ballack (ALE) cruzou uma bola na área e o artilheiro Klose (ALE) marcou seu quinto tento na Copa, e o primeiro de cabeça da Alemanha. Aos 35′ do segundo tempo, tudo igual, 1 a 1 no placar.






Mais uma decisão no tempo extra. Pelo MatchCast da Fifa, a Argentina teve 6 chances claras de gol, contra apenas uma dos alemães. Mas o placar não mudou e os pênaltis se fizeram necessários.

Se para os alemães sobrou competência, do lado dos hermanos parece que a pressão exercida pela torcida foi o ponto decisivo. Neuville (ALE), Ballack (ALE), Podolski (ALE), Borowsky (ALE), Cruz (ARG) e Rodriguez (ARG) marcaram. Ayala (ARG) e Cambiasso (ARG) perderam suas cobranças e desclassificaram sua seleção. Argentina volta pra casa, Alemanha vai pra semifinal. 4 a 2 para os anfitriões.


Minhas impressões

Não sou especialista em futebol, longe disso. Apenas gosto de um jogo bem jogado. E foi isso o que aconteceu. E o resultado da partida me fez entrar em um turbilhão de emoções.

Admiro muito o futebol argentino. E não é de hoje. Torcer por eles nesse jogo era acreditar que era possível alguém tirar o título da Alemanha. Mas torcer por eles também significava passar por cima de todos os preceitos brasileiros de aversão aos nossos mais fantásticos vizinhos. Torcer pela Argentina? Só se fosse louco. Ou Corinthiano. Não sou nenhum dos dois, e, ao mesmo tempo em que fiquei puto de raiva com o Cambiasso (ARG) após ele perder a cobrança, me lembrei que a Argentina estava eliminada da Copa. A raiva vira alegria, e o coração não sabe mais por que lado bater.

A atitude da  organização da Copa em colocar telões nos estádios é louvável. Permite aos torcedores e aos jogadores reverem os lances da partida, levando o replay ao estádio, uma beleza. Mas quando utilizado tendenciosamente, é uma poderosa arma a favor da seleção da casa. Você viu o Maradona na transmissão da TV? Nem eu. Teria ele perdido esse jogo? Teria ele ficado no hotel, com medo de ir ao estádio? Ou teria a transmissão oficial simplesmente ignorado a sua presença para não deixar que a torcida porteña crescesse junto com seu ídolo? Teorias da conspiração à parte, mostrar o Kahn (ALE) acarinhando e aconselhando o Lehmann (ALE) fez com que a torcida alemã, que já estava empolgada, crescesse ainda mais.

É uma pena e ao mesmo tempo uma alegria ver a Argentina fora da Copa. Mas mal sabíamos o que nos esperava no dia seguinte…

Copa do Mundo – Grupo D (2ª Rodada) 17/06/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
add a comment

A pelada

O que comentar de um jogo entre México e Angola e que acabou em zero a zero???

Apenas o fato que o resultado serviu para embolar mais ainda o grupo. Os mexicanos bem que poderiam ter assegurado a vaga para as oitavas. Mas a segunda vaga do grupo só sairá na rodada final. E se Angola ganhar do Irã, e se o México perecer ante os portugueses, os chicanos ficarão de fora. E olha que eu ainda botava fé nos seguidores de Dom Bolaños!

 

************************************************************************

O jogo

Depois de 40 anos, os lusos voltam a fazer parte das oitavas-de-finais de uma Copa do Mundo, juntando-se à Alemanha, Equador, Inglaterra, Argentina e Holanda. Graças a Luis Felipe Scolari, recordista em vitórias consecutivas na competição, nove até agora. Pontos também para Luis Figo (POR), que parece ter encontrado sua função nesse time.

A partida começou truncada, com os dois times se estudando e se batendo. Até demais. Portugal perdeu várias chances claras de gol, talvez por afobação, talvez por preciosismo por parte dos atacantes. Cristiano Ronaldo, mais uma vez, preferia as jogadas bonitas às eficazes. Ele, com o tempo, pode se tornar um excelente jogador. Mas precisa urgente perder essa marra de querer fazer só lances bonitos. Lembremos todos do filósofo contemporâneo Dadá Maravilha: "Não existe gol feio. Feio é não fazer gol"!

 

E pro falar em gol, eles vieram no segundo tempo. Figo (POR) fez uma bela jogada e passou para Deco (POR) que meteu (mais um) balaço de fora da área. Um golaço com o toque de teimosia de Felipão, que a despeito de todas as críticas menteve o meia no segundo período de jogo. Um a zero Portugal aos 18' do segundo tempo.

 

Figo, de novo em jogada individual, avançou pela área iraniana e foi derrubado. Pênalti a favor dos patrícios. Para matar a vontade de marcar, Cristiano Ronaldo foi lá e bateu. Dois a zero Portugal, 35' do segundo.

 

Eu sei que nem o Felipão nem o próprio Cristiano Ronaldo lerão isso aqui. Se o fizessem, muito honrado eu ficaria. Mas ele precisa largar mão de ser tão Robert. Apareça pelo seu bom jogo, Ronaldo, e não pelas caras e bocas que você faz. O próximo jogo é contra o enforcado México, e eles entrarão em campo com muito mais vontade do que os iranianos. Cabe a você mudar a imagem que está deixando para o mundo.

E cabe ao Brasil, de novo, assistir ao VT da partida para que também não cometa os mesmo erros cometidos pelos lusos. Às armas!!! Às armas!!!

Copa do Mundo – Grupo C (2ª Rodada) 17/06/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
1 comment so far

6a0.jpg

A aula

Foi isso mesmo: uma aula de futebol!!!

Se você assiste à Copa do Mundo para torcer pelo Brasil, role a página até o jogo da Holanda contra a Costa do Marfim. Se você assiste ao mundial porque gosta de ver um bom jogo de futebol, pode continuar lendo.

Três gols no primeiro tempo, três gols no segundo, um verdadeiro olé dos platinos. A Argentina teve maior posse de bola, levou menos cartões amarelos, cometeu menos faltas, enfim, foi a melhor em campo. As estatísticas oficiais da FIFA mostram 58% de posse de bola argentina. Eu contesto: Sérvia e Montenegro, se pegou na bola, não foi por mais de 5 minutos durante toda a partida. O que se pode chamar de domínio em campo.

Os porteños começaram cedo a festa, mostrando que o jogo iria ser muuuuiiiito longo pros sérvios. Eram 6' do primeiro tempo e Maxi Rodriguez (ARG) marcou o primeiro gol. Vinte e seis minutos se passaram e os hermanos realizaram uma pintura, uma obra de arte. Foram vinte e cinco toques na bola em uma jogada. Vinte e cinco toques!!! Até a finalização precisa de Cambiasso (ARG), marcando dois a zero. Golão, golaço!!!

 

Maxi Rodrigues (ARG) se junta aos artilheiros da Copa marcando seu segundo gol aos 41' do primeiro tempo. Com direito à bola bater na trave e depois no pé do zagueiro.

 

Começa o segundo tempo e sérvios e montenegrinos não se encontram em campo. Deve ser realmente complicado para eles, que tanto valorizam o patriotisto, ter que jogar por um país que não existe mais. Desde o começo do mês um plebiscito determinou a separação da Sérvia de Montenegro. Num time formado por jogadores sérvios, montenegrinos, bósnios, com um técnico croata (se não me engano), o hino da ex-Iugoslávia não ecoa na boca de ninguém. Qual a motivação que eles tinham, de entrar em campo virtualmente desclassificados, e já levando um 3 a 0 no lombo?

 

E a Argentina continuou no seu jogo, toco e me voy. Passo e avanço, como eles gostam. Esse estilo de jogo faz com que saiam gols de volantes, como foi no primeiro tempo. Com um futebol envolvente, gostoso de se ver como deveria ser o da nossa seleção, eles pareciam estar respeitando o adversário em não avançar a gol. Pareciam. Porque aos 33' do segundo tempo, Hernan Crespo (ARG) recebeu uma assistência de Messi (ARG) e marcou o quarto gol. Cinco minutos depois ele, o feio, o escroto, o corinthiano, o filho da puta de bom entrou em campo. Tevez entrou pela ponta esquerda da área, deu uma caneta no primeiro zagueiro, ganhou a dividida com o segundo e tocou com classe, com estilo, com segurança no canto esquerdo do goleiro Jevric (SER), sem nenhuma chance. Golaço, e cinco a zero no placar.

 

Mas a aula ainda não tinha acabado. Faltava o calouro Messi (ARG) deixar sua marca. E ele o fez com estilo, entrando sozinho na área e marcando o sexto gol da Argentina, a apenas dois minutos do final do jogo.

 

Agradeci a Deus por ter podido ver um jogo tão bom quanto esse. sério mesmo, foi um privilégio. Um dos melhores, senão o melhor, jogos da história das Copas. Agora pensem o quanto é difícil para mim, brasileiro e palmeirense, ter que admitir tudo isso…

Como eu deixei claro no começo do post, eu assisto à Copa porque gosto do bom futebol, do jogo bem jogado, do verdadeiro futebol-arte. E por mais que odiemos nossos vizinhos, não dá pra passar ncólume a uma experiência como esta. Talvez seja por isso que nós temos tanta birra com eles: por sermos parecidos. Não somos rivais da Alemanha, ou da Inglaterra, porque o jogo deles é outro. Não nos interessa a Itália, até porque nas últimas Copas eles viraram nossos fregueses (queira Deus que isso continue nas oitavas). Mas com a Argentina é diferente. Por que é mais gostoso vencer da Argentina? Porque seria como vencermos a nós mesmos!

Deixo aqui registrado para que no futuro, se necessário, possa ser cobrado: em caso de eliminação precoce do Brasil, e se os hermanos ainda permanecerem na competição, torcerei pela Argentina!!! Nada contra os segundos times de todo mundo, geralmente os africanos. Mas eu torcerei pelo bom futebol apresentado pelos porteños. E que eles não me decepcionem!!!

************************************************************************ 

 

O jogo

Não pude assistir à partida, então não tenho muito a comentar.

O placar foi construído no primeiro tempo. Van Persie (HOL) aos 23' abriu o placar para a Holanda. Quatro minutos depois, Van Nistelrooij (HOL) marca seu primeiro gol e o segundo da seleção holandesa. Aos 38', Kone desconta para os marfineses. Resultado final, dois a um para a laranja mais famosa.

 

Eu avisei já há um certo tempo. O grande, o badalado, o fodão Didier Drogba (CMA) amarelou. De novo!!! Ele, que para muitos seria um dos destaques da competição, apitou. De novo!!! É assim mesmo, se você ver que vai cair, deita logo!!!

Copa do Mundo – Grupo B (2ª Rodada) 17/06/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
1 comment so far

O jogo

Essa partida deveria ter sido gravada e colocada à disposição de todos aqueles que querem saber como é o futebol inglês. Foi uma síntese, um resumo de tudo que os ingleses conseguem produzir em campo.

Foram mais de 30 bolas levantadas na área, mais de 20 finalizações. Até que o wannabe de saracura Peter Crouch (ING) conseguiu seu intento, justificando a única razão de ficar na seleção: deu uma cabeçada (se escorando dos dreads do wannabe de Bob Marley Brent Sancho (TRI)) e marcou o primeiro tento bretão aos 38' do segundo tempo. Entregues, os trinitinos (obrigado Ciquini) não puderam conter o ataque inglês e Gerrard (ING) marcou um belo gol de fora da área aos 46' da segunda etapa.

************************************************************************

O jogo

Chato, feio e bobo. Truncado, azedo, insosso. Enfim, uma grande bosta.

A acrescentar, somente o fato de que o Paraguai, notoriamente conhecido por sua defesa, nem isso tem mais. Gamarra (PAR), um ícone do bom zagueiro, será lembrado em sua última Copa por ter feito um gol contra no jogo contra a Inglaterra. Com certeza é a aura palmeirense…

Pra não dizer que não houve nada de mais na partida, Ljungberg (SUE) fez o gol vencedor aos 44' do segundo tempo. E só.

Paraguai eliminado, é o primeiro sulamericano a voltar mais cedo pra casa. Tomara que demore pra outros seguirem o mesmo caminho.

Copa do Mundo – Grupo A (2ª Rodada) 17/06/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
add a comment


O jogo

Amem ou odeiem, o Galvão Bueno definiu com precisão o jogo de bola praticado na Alemanha: é um negócio parecido com futebol, tem campo, tem bola, tem onze de cada lado. Não é futebol, mas às vezes funciona.

Depois de 16 finalizações, 8 delas levando claro perigo à meta polaca, aos 46' do segundo tempo Oliver Neuville (ALE) escorou um cruzamento rasteiro de Odonkor (ALE) e enterrou a Polônia. Primeira seleção classificada para as oitavas-de-finais, a Alemanha parece ter chegado até aqui na base da força. Em seu primeiro jogo, espancou um cachorro morto (Costa Rica). Agora, ganhou nos acréscimos, com um golzinho sofrido e chorado. Tomara que continue assim, sofrido e chorado.


************************************************************************

3a0.jpg

O jogo

Não foi nada de extraordinário, transgênico ou vultoso. Os equatorianos conquistaram a vaga na próxima fase com gols de Tenório (aos 8' do primeiro tempo), Delgado (aos 9' do segundo) e Kaviedes (aos 47' do segundo). Wanchope (COS) ainda era o único referencial do ataque costa-riquenho. E não foi suficiente.
A partida serviu para sepultar as mínimas chances da Costa Rica. O Equador, surpresa para alguns, fez a sua parte contra a Polônia. Graças à sorte, só pegará os donos da casa na última rodada, já classificados.

Copa do Mundo – Brasil 1 x 0 Croácia 13/06/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
1 comment so far

brasil.gif1a0.jpgcroacia.gif

O jogo

Agora sim começou a Copa do Mundo!!! Que jogo, meu Deus, que jogo!!! Agora sim a torcida brasileira ganhou toda a confiança que necessitava. A movimentação mágica do quadrado brasileiro envolveu a zaga croata. Ronaldo Fenômeno fez uma de suas melhores atuações pelo escrete canarinho. Ronaldinho Gaúcho quebrou a espinha de pelo menos três marcadores. Adriano abriu a defesa no peito, impondo sua força física. Kaká mostrou que não é mais um menino, e jogou com raça, força e vontade. A seleção brasileira, lá no estrangeiro, foi uma verdadeira representante da pujança e do valor do povo de seu país!!!

Tá bom, menos, menos…

Como todas as estréias brasileiras com vitória nas últimas 67 Copas, o jogo de hoje teve um resultado magro. Um a zero. Mas foi o suficiente. Segundo a filosofia Felipônica, o importante é ter mais gols que o adversário. E foi isso que aconteceu.

No começo do jogo parecia que o Brasil iria moer com os croatas. Bolas trocadas de pé em pé pelos vértices do tal "quadrado" na entrada da área adversária davam o tom do que poderia ser a partida. Mas o fogo de palha não durou mais do que dez minutos. O Brasil não chegou ao gol, o que fez com que a Croácia "gostasse" do jogo. Tínhamos o controle. Agora, teríamos que partir nos contra-ataques.

Jogadores como Simunic (CRO), Igor Tudor (CRO) e Robert Kovac (CRO) forçaram a marcação sobre os jogadores brasileiros. De repente, o campo ficou pequeno para todos os jogadores brasileiros. Ronaldo (BRA) não encontrou espaço para se movimentar. Era mais um espectador privilegiado, e não um atacante.

 

Ronaldinho Gaúcho afirmou antes da partida que quando ele joga com alegria tudo fica mais fácil. Acho que nem mesmo a sua mãe, que castiga de um lencinho pra mandar boas vibrações para o dentuço, conseguiu mandar os tais bons fluídos para a Alemanha. Além disso, a marçação cerrada não permitiu que o melhor do mundo mostrasse seus méritos.

 

Roberto Carlos experimentou o goleiro Pletikosa (CRO) várias vezes. O chute de fora da área tem se mostrado muito eficiente nesta Copa. Seja pela bola nova (que "pega" mais efeito), seja pela força dos jogadores, mandar um balaço de fora é quase gol. Kaká ouviu os clamores populares e, aos 44' do primeiro tempo, marcou o gol da vitória brasileira. Kraque, com K maiúsculo.
 

Na volta para o segundo tempo, a Croácia veio babando para cima do nosso time. Foi aí que a defesa, impecável no primeiro tempo, começou a dar os famosos sustos na torcida. Mas nada que o goleiro Dida (BRA) não remediasse. Sempre de olho na bola, ele não permitiu que os croatas empatassem.

 

Papo vai, papo vem, e Parreira percebe que com a formação original já não irá conseguir mais nada. Decide (iluminado pela luz divina) tirar Ronaldo e colocar Robinho em seu lugar.

 

Muda o time, muda o ânimo. Só não muda o placar.

Os jornalistas fizeram, ao final da partida, o papel dos judeus no julgamento de Pilatos. Pegaram Ronaldo pra Cristo, só faltando bradar "Crucifica-o! Crucifica-o!" para Parreira. Que ele não jogou nada, é certo, é claro, é líquido. Exigir Robinho no time titular para o jogo contra a Austrália parece ser o novo bordão popular. Mas calma lá! Tudo a seu tempo.

O nome do jogo

Tomislav Butina (CRO). O goleiro reserva da Croácia pode ser uma arma secreta, caso as próximas partidas terminem em pancadaria.

Momento Chaves

Apesar de toda a segurança presente no estádio, apesar de todos os colaboradores de colete laranja, houve invasão de torcedores no campo. Por ele estar com a mesma camisa dos jogadores, os seguranças parecem não ter percebido sua presença. Depois de beijar os pés de Dado Prso (CRO), o bebum foi retirado de campo.

Menção Horrorosa

Tutankamon continua na sua saga pelo Hexa do Brasil. Pouco depois de sair do sarcófago para acompanhar a partida, a velha múmia disse, confiante: "'Zagallo só no pó' tem 13 letras. 'Zagallo morreu' também".

 

Copa do Mundo – França 0 x 0 Suíça 13/06/06

Posted by Calsavara in Copa, Crônicas, Entretenimento, Esportes, Futebol.
add a comment

franca.gif0a0.jpgsuica.gif

O jogo

Não vi e gostei!

Depois de um almoço bem servido e de ter corrido um pouco durante os últimos dois dias, chega uma hora em que o sono bate. Nada melhor do que um jogo fraco pra tirar aquele cochilo. Volta e meia eu dava uma acordada, mas nada fez com que eu me despertasse por completo. Mas consegui pescar algumas coisas durante a transmissão.

"Allez les Bleus", cantava a torcida. Mas os azuis parecem estar com algum tipo de mandinga, catiça, carniça, maria-lingüiça ou algo do gênero. De nada adiantou Zidane, Henry, Ribery, Saha, Thura, entre outros craques. O placar não saiu do "oxó".

Fora uma bola na trave no primeiro tempo, a Suíça teve algumas chances no segundo período. Jogando contra o sol, o goleiro Fabien Barthez (FRA) meio que se embananou em alguns lances, mas nada sério.

Zidane não é Sassá Mutema, mas se transformou no Salvador da Pátria francesa. Pena (para eles) que ele parece não estar lidando muito bem com toda essa situação. E não tem Maitê Proença que dê jeito no carequinha.

Num jogo feito no dia de Sto. Antônio, o jogador Frei (SUI) (talvez por ser do ramo), tentou repetir o ato religioso de Maradona, feito há exatos 16 anos, contra a U.R.S.S.. Era mais uma das manifestações da mão de Deus. Mas o Frei não fo icom fé suficiente e o resultado foi um cartão amarelo.
O que mais me confortou, a mim e a todos os brasileiros, é saber que o último gol francês em Copas ainda é o de Petit, no segundo tempo da final de 98. Há oito anos que eles não marcam um gol. Tomara que, se marcarem, sejá só na África do Sul…

O nome do jogo

Pascal Zuberbuehler (SUI). Mais um belo nome para a nossa coleção.

Momento Chaves

Ver o Zidane em campo, com medo da bola, não tem preço.

Menção Horrorosa

Os franceses já não sabem mais o que fazer para saírem desse ostracismo de vitórias. Chegam até aos extremos, requisitando forças mágicas e sobrenaturais a seu favor. Só não se lembraram que se macumba ganhasse jogo, campeonato haitiano sempre terminaria com todos os jogadores mortos por causa do vodu.