jump to navigation

Você me pediu para escrever um poema… 29/01/08

Posted by Calsavara in Mulheres.
trackback

… e eu juro que tinha um salvo nos meus rascunhos…

Na verdade, não era bem meu. Eu ia pegar emprestada uma das crônicas do Paulo Briguet, que por sinal saiu ontem no JL. O texto é dele, mas é só você ler que você vai entender por que ele é um pouco meu também. Te amo, hoje e cada dia mais, minha linda!!!

.o0O0o. 

Você diz que é feia quando acorda. Mentira. Todos os dias eu vejo você acordando – e você não se vê. Você quando acorda é uma das coisas que fazem a vida valer a pena. No limite entre o sono e a vigília, você não apenas é bonita como parece precisar de mais amor.

Você tem uma certa dificuldade para abrir os olhos de manhã. É a luta do sono contra a vigília, dos resquícios da noite contra a certeza do dia.

“Me deixa dormir só mais um pouquinho!” Como não ceder a esse pedido, feito de olhos fechados? Minha vontade era deixar você dormindo quanto tempo quisesse. Mas só posso fazer isso nos finais de semana, senão você fica brava. É uma profissional muito responsável; tem seus horários e compromissos.

Eu sou feio quando acordo – e feio também nas outras horas do dia. Você quando acorda é um privilégio. Aí está a compensação que Deus criou para a dor, a angústia e o medo. Você quando acorda compensa o empate do Palmeiras; a renúncia do vereador; os motoristas com volume alto, escapamento solto e documento pequeno.

Você quando acorda é tão bela quanto uma ode do Alexei Bueno, quanto uma sonata do Beethoven, quanto uma tela do Matisse. João Sebastião Bach – sonhei com ele hoje – deveria ter feito um concerto só para você. Não existe a “Ária da quarta acorda”? Pois deveria haver um “Concerto quando ela acorda”. (Eu sei que o trocadilho foi péssimo. Mas é que eu fico meio besta quando penso em você acordando.)

Você quando acorda me faz lembrar de outras manhãs em que eu acordei e você não estava lá. Manhãs perdidas, inúteis, áridas! Manhãs que me ensinaram, por contraste, o valor de acordar ao seu lado. Lembro-me especialmente de certa manhã, na república. Os ratos caminhavam sobre o forro de madeira. Uma vaga luz de tempo nublado invadia o quarto. Esse quarto não existe mais. Essa manhã não existe mais. Você quando acorda é a vitória sobre o tempo.

Anúncios

Comentários»

1. Paty - 29/01/08

continuo me achando feia qdo acordo, mas continuo te amando e cada vez mais toda vez que te vejo… te amo!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: