jump to navigation

Dois pesos e duas medidas 5/04/07

Posted by Calsavara in Bobagens diversas, Candidatos, Comportamento, Cotidiano.
4 comments

(Não ia postar isso agora, mas o computador está quase travando e não estou com paciência para procurar os endereços de novo.)

Ê, larí lará… Nem falo nada… Não entendeu? Clica aqui e depois aqui.

Anúncios

Os sete pecados capitais do Maracanã 5/04/07

Posted by Calsavara in Comportamento, Cotidiano, Crônicas, Esportes, Futebol, Jornalismo, TV.
add a comment

O Romário ainda continua lutando pra conseguir marcar seu milésimo gol…

romario12.jpg

Mas ainda não foi dessa vez. A equipe da Colina jogou contra o Gama-DF e levou um baile, mas um SENHOR baile. Que o diga o goleiro Cássio, que engoliu um frangaço clássico logo aos dois minutos do primeiro tempo. Aos 15′ Renato completa de cabeça após uma cobrança de falta e empata para o Vasco.

No segundo tempo, aquele que seria o herói da partida começa a mostrar o rosto. Não, não é o Baixinho. O jogador aqui referido é o Marcelo Uberaba, do time de verde, que bateu uma falta quase perfeita, não fosse a intervenção certeira de Cássio. O Vasco continuou batendo cabeça e os meias pareciam desesperados, passando todas as bolas para o camisa 11 fazer o tento emblemático. Em vão. Uma marcação muito bem feita pelos zagueiros do cerrado praticamente anulou o herói do Tetra. A esquadra cruzmaltina ainda teve mais duas boas chances aos 42′ e aos 46′. Mas quis o destino (odeio esses clichês, mas eles cabem aqui) que Marcelo Uberaba tivesse outra falta a ser cobrada, aos 48′. O resultado? Um gol daqueles de “se colocar numa moldura”, como disse o Neto na Bandeirantes. A bola passou por sobre a barreira, entre o segundo e o terceiro jogador (como manda o manual de boas maneiras do futebol) e caiu, já sem forças, fora do alcance do goleiro Cássio. Resultado: Gama-DF 2 x 1 Vasco da Gama-RJ, e o clube carioca eliminado da Copa do Brasil.

09684334-ex00.jpg

O jogo me fez pensar em alguns pecados que o Vasco está cometendo nessa busca pelo tal Gol 1.000 do Romário. E não são pecados veniais não. São capitais.

(mais…)