jump to navigation

O que mudou pra você na Páscoa? 19/04/06

Posted by Calsavara in Comportamento, Crônicas, Feriados.
trackback

Faço essa pergunta porque minhas últimas Páscoas têm sido bastante peculiares. Mudanças acontecem com uma freqüência maior do que se espera, pelo menos para mim, nessa época do ano.

A graça da páscoa é justamente o renascimento, o ressurgimento. O triunfo do novo sobre o velho, da vida sobre a morte (e outras comparações dicotômicas que você quiser adaptar aqui). Essas alterações (às vezes pequenas; em outras, não) têm tido uma presença marcante para mim, e vou tentar explicar um pouco disso por aqui.

O Blog, por exemplo. Vocês têm acompanhado em posts anteriores que sempre aparecia um pequeno Clique Aqui!, seguido por uma sugestão de trilha sonora pra acompanhar a leitura. Pois é, acabou! A mudança aconteceu repentinamente e sem aviso prévio. De uma hora para outra, os arquivos .MP3 tornaram-se proibidos no meu servidor. Busquei formas alternativas para remediar a situação, mas está deveras complicado. Vou ter que sacrificar o formato original de postagem, mas espero voltar ao que era em breve.

Mas também houve uma mudança boa. Agora é possível adicionar vídeos do YouTube diretamente no texto. Como você pôde ver abaixo, com o querido Requião degustando suas mamoninhas.

Mas vamos um pouco mais fundo nas mudanças…

Páscoa de 2004. Estava eu, lá em Guarapuava, tranqüilo, calmo, sussegado (nem tanto, é verdade), fazendo minha faculdade de Jornalismo. O coração estava (mais ou menos) em ordem, estava empregado (ganhando pouco, é verdade). Amigos não faltavam. Tudo corria bem, na "Zona de Conforto", como gostam de apregoar os fanáticos por RH. E não é que o Requião, esse mesmo, das mamonas, decidiu trancar alguns cursos universitários. Entre eles, Comunicação Social – Jornalismo, na Unicentro.

Mais perdido que cebola em salada de frutas (by Maicon E. Oliveira. All rights reserved.), não sabia para onde correr. Eis que são abertas duas vagas para transferência externa cá na UEL, em Londrina. Uma noite dormida na casinha de fundos da D. Josefa, com a cabeça ainda rodando das cervejas da minha festa de despedida (que me fez passar mais raiva que qualquer outra coisa, no dia) e os olhos fundos de tanto choro. Outra noite, dormindo num quarto dividido com meu primo, na Santos, centrão de Londrina, numa cama que não era a minha, numa casa que não era a minha, me preparando para ir às aulas numa turma que não era a minha…

Foi um dos maiores baques que tive em toda a minha vida, se não o maior. Mas foi necessário. Hoje tenho minha turma por aqui, meus amigos, minha sala, minha turma, meus professores, meu curso. E aqueles que deixei, lá pelos pagos de Guarapuava, ainda continuam meus amigos, graças a Deus!!!

Páscoa de 2005. Não vou entrar em detalhes, até porque o post já está se estendendo mais do que eu queria. Mas o que importa é que eu levei outro grande baque, que veio como uma bordoada direta no peito. Uma coisa meio Kid Abelha, "não estou disposto a esquecer seu rosto assim / gostar de quem não gosta de mim"… Resolvi mudar geral: de comportamento e de casa, inclusive. E não é que deu certo também?

Agora espero qual vai ser a grande mudança que vai se apresentar pra mim nessa Páscoa. O que será que eu tinha como sagrado que vou ter que enterrar? O que eu cultivo hoje como imprescindível que passará a ser dispensável? Deus sabe…

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: